Seja Bem vindo(a)
 
 
 
  (91) 3224-6661
 
  Fale Conosco
Nossa História
Convênios
Contas Abertas
Palavra do Presidente
Facebook
Youtube
Últimas Notícias
Artigos
Estrutura
Legislação
Assessoria Jurídica
Consultas Online
Aniversariantes
Documentos
Clube do Livro
Links Importantes
 
Associações e Sindicatos
Empresário
 
Adepol do Brasil
Sindpol
 
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
30/06/2016
PLENÁRIO REJEITA ANÁLISE, PELA CDH, DE MUDANÇAS NA LEI MARIA DA PENHA

O Plenário do Senado, por 37 votos contrários e 15 favoráveis, rejeitou nesta quarta-feira (29) requerimento para que o PLC 7/2016 - que modifica a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006) regulamentando os procedimentos de atendimento policial e pericial em casos de violência contra a mulher - fosse analisado também pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). O projeto aguarda inclusão na ordem do dia.

Uma das principais novidades da proposta, apresentada pelo deputado Sergio Vidigal (PDT-ES) e aprovada na Câmara em 29 de março, é de dar ao delegado de polícia a prerrogativa de aplicar medidas protetivas da vítima e de familiares, em caráter imediato e provisório. Atualmente, essas medidas somente podem ser aplicadas pelo juiz.

O dispositivo foi alvo de críticas, principalmente de movimentos feministas, que consideram faltar amadurecimento na discussão do tema. O exame do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) causou divergência entre senadores durante a quarta-feira: um grupo tentou adiar a votação e enviar a proposta para audiência pública na CDH. Requerimento nesse sentido, porém, foi rejeitado na comissão.

Na ocasião, o presidente da CCJ, senador José Maranhão (PMDB-PB), admitiu a possibilidade de manifestação da CDH sobre o PLC 7/2016, mas deixou claro que não abria mão da prerrogativa de a CCJ decidir sobre o mérito da proposta.

A controvérsia seguiu no Plenário. O presidente do Senado, Renan Calheiros, abriu a votação sob protestos, mas acompanhou o entendimento do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) de que a falta de regulamentação deixa uma lacuna no atendimento às mulheres.

Entre as senadoras, manifestaram-se pelo requerimento, em Plenário, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Regina Sousa (PT-PI) e Fátima Bezerra (PT-RN). Contra o requerimento, ainda que concordassem com algumas das ponderações, manifestaram-se Simone Tebet (PMDB-MS) e Ana Amélia (PP-RS).

FOTO: JONAS PEREIRA / AGÊNCIA SENADO 

Fonte: Agência Senado de Notícias
   
« Voltar
Área Restrita
Galeria de Imagens
Informativos Online
Informativos Online
Delegacias do Pará
Procurados
Publicidade:
Desenvolvido por:
CentrallWEB
Av. Presidente Vargas, 351, Ed. Palácio do Rádio, Apto. 1102
CEP: 66.010-000 - Campina - Belém/PA
Fones: (91) 3224-6661 / (91) 3222-0465
E-mail: adm@adepol.com.br / adepolpa@hotmail.com
Sistema Antistress:
Antistress